SATCLUBE

ANATEL e o 5G no Brasil
José Raimundo Cristóvam  24.03.2021, 01:24:29

"Quando falamos de uso do espectro, sempre consideramos o curto, médio e longo prazo. [A banda C satelital] está na nossa pauta, mas com certeza em médio a longo prazo. Hoje ela está ocupada, tem sua relevância e direitos de exploração que só vencem depois de 2025", sinalizou ele, em menção às operadoras de satélites incumbentes dos 3,7-4,2 GHz.

Por coincidência, é também em 2025 que Caram projeta ver o 5G consolidado no Brasil. Até lá, avaliação é que a demanda por espectro para serviços de telecom estará bem acomodada no País – seja através da capacidade recorde a ser disponibilizada no leilão do meio do ano ou por conta da recente destinação do 6 GHz para o WiFi 6E.

Créditos: UNISAT Telecom - www.unisat.com.br


PARCEIROS
AVISO IMPORTANTE

Este site tem o objetivo de servir a estudantes, sathobistas e profissionais instaladores de antenas parabólicas espalhados por todo o território brasileiro e sul-americano, transmitindo-lhes conhecimentos técnicos que os capacitem a alinhar suas antenas com os satélites que transmitem sinais na condição free-to-air (FTA). Mesmo os profissionais que atendem a operadoras de serviços DTH têm neste site uma base de informações para fazê-los capazes de instalarem suas antenas. Toda tentativa de busca de recepção não lícita ou não autorizada de canais encriptados, não FTA, não tem como base ensinamentos deste site.