f Portal BSD: Satélite - TV Digital - IPTV - 3DTV - Star One D2 - 70.0 W - Tópico para comentários geral

SatClube Fórum Patrocinado Por

Você está no fórum Satélite
Apoie-nos!!!

Doe mais que seu tempo e ajude o PORTAL BSD a se manter em atividade. Aqui, compartilhamos o conhecimento, mas precisamos dividir, igualmente, os custos do site.

CLIQUE AQUI e saiba mais detalhes de como nos ajudar.


Responder tópico
Star One D2 - 70.0 W - Tópico para comentários geral

mplafer
Sao Paulo - Sao Paulo
Mensagem: #1
06/10/2019, 07:13

Já criando este tópico para comentarmos sobre o "D2", que irá substituir o "C2".

Saiu hoje, 06/10/2019 a nota oficial da Embratel, que pode ser vista aqui, neste link:
https://www.embratel.com.br/imprensa/embratel-anuncia-investimentos-para-acelerar-a-digitalizacao-das-antenas-parabolicas.

E aqui o texto do site para quem não conseguir acessar, e ou até mesmo, para "salvar" e ficar registrado na história, caso um dia a Embratel apague o link.

"06/09/2019
Embratel anuncia investimentos para acelerar a digitalização das antenas parabólicas

Iniciativa resultará em melhor qualidade de transmissão para residências de todo o Brasil
A Embratel anuncia importante projeto visando ampliar a digitalização dos sinais enviados a mais de 20 milhões de parabólicas que atualmente recebem transmissão aberta de TV via satélite.

“A digitalização já é uma realidade para milhões de lares. O lançamento do nosso novo satélite Star One D2 trará ainda mais qualidade nas imagens transmitidas para residências brasileiras”, explica Gustavo Silbert, Diretor Executivo da Embratel.
Já existem cinquenta e nove sinais de TV digitais na posição orbital 70O W e mais de seis milhões de caixas receptoras digitais operando com o satélite Star One C2. O número dessas caixas continua a aumentar a cada dia.

O novo satélite Star One D2, em construção, ocupará a hot position em 70oW, substituindo o Star One C2. É a partir dessa posição orbital que atualmente são transmitidos os sinais das maiores emissoras de televisão do Brasil. O Star One D2 será equipado com Banda C de maior potência para oferecer o máximo de qualidade às parabólicas digitais. O satélite permitirá a transmissão de sinais usando os atuais padrões de transmissões analógicas e digitais, como também o novo padrão digital 16APSK/H.265/DVB – S2X. Esse novo padrão permitirá o aumento da oferta de canais recebidos pelas parabólicas apontadas para esta posição. O Star One D2 substituirá o Star One C2 já em 2020.

“O novo satélite da Embratel foi especialmente desenhado para levar mais potência e qualidade aos sinais de televisão transmitidos. Permitirá a aceleração do processo de digitalização dos sinais analógicos e maior oferta de canais de alta definição (HD) com custos mais baixos e antenas de recepção menores”, explica o executivo.

A digitalização das parabólicas está em processo acelerado e deverá conviver com a chegada da conectividade 5G pela faixa 3,5GHz, que deve ocorrer nos próximos anos. “Estamos confiantes que as parabólicas em Banda C e os futuros sinais 5G poderão coexistir de forma harmônica”, diz Silbert.
Entre as mudanças necessárias para mitigar eventuais interferências do 3,5GHz terrestre está a implementação de um novo amplificador digital LNBF nas parabólicas. “Acreditamos que esse será o caminho menos oneroso e mais veloz para permitir a convivência dos sinais do 5G e da Banda C, mas esse é um tema que ainda está em discussão por todos participantes dos segmentos impactados”, explica o executivo.
Sobre o satélite Star One D2

O satélite Star One D2 será o maior já fabricado pela Embratel. Terá Banda Ka para atender às demandas de backhaul de telefonia celular e será equipado com as bandas C e Ku, complementando as ofertas de capacidade para demandas de dados, vídeo e Internet de clientes corporativos, além de ampliar as redes de backhaul celular existentes em Banda Ku.

O Star One D2 terá uma potência estimada de 19,3 KW, e massa de lançamento estimada de 6,3 toneladas. Será construído para ter uma vida útil de mais de 18 anos. Terá 28 transponders (receptores e transmissores de sinais) em Banda C, 24 transponders em Banda Ku e 20 Gbps de capacidade em Banda Ka.

Complementará a cobertura de Banda Ka do satélite Star One D1, que se encontra na posição de 84ºW, ampliando as ofertas de Internet e Banda Larga, em praticamente todo o território nacional. Também viabilizará o aumento de serviços de dados corporativos para órgãos do Governo e empresas dos mais diversos setores.
O Star One D2 também garantirá a continuidade dos serviços em Banda C e Ku do Star One C2. Com a Banda Ku, o satélite irá permitir o fornecimento de capacidade para dados, vídeos e Internet para órgãos do Governo e grandes empresas que atuam nas Américas do Sul e Central, incluindo o México. Possibilitará a transmissão de sinais para as ofertas de TV por Assinatura. Já a Banda C garantirá a manutenção e crescimento das ofertas de sinais de TV Aberta."

É, vamos aguardar! Ano que vem promete!!

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário


candelaria
Candelária - RS
br.gif
Mensagem: #2
06/10/2019, 10:17

Na verdade este release saiu há um mês atrás, 06/09/2019.

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário


IgorSl
São Luís - Maranhão
br.gif
Mensagem: #3
06/10/2019, 10:24

Quero saber como vão digitalizar todos os canais, porque a principio ela não é obrigada por ser apenas uma operadora e tem que ter interesse das emissoras que essas escolhem o formqto que querem, bem diferente do programa de tv aberta que prever migração e todo um aparato técnico de migração e suporte. Isso mais uma ideia da Star One pra não ameaçar seus clientes em largar a mesma e migrar pra ku pra outras empresas como as notícias "dessesperam" sobre interferência e "apagão" de sinais.
Aguardar no que dá.


E lembrar de realmente tiver interferência não será apenas no C2, mas em todos de banda C e tem vários com cobertura no país, ver como cada uma fará pra "bloquear" interferência e "blindar" seus satélites que operam.

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário MSN Messenger


HeitorPosada
Araruama - RJ
br.gif
Mensagem: #4
06/10/2019, 14:15

IgorSl escreveu:
Quero saber como vão digitalizar todos os canais, porque a principio ela não é obrigada por ser apenas uma operadora e tem que ter interesse das emissoras que essas escolhem o formqto que querem, bem diferente do programa de tv aberta que prever migração e todo um aparato técnico de migração e suporte. Isso mais uma ideia da Star One pra não ameaçar seus clientes em largar a mesma e migrar pra ku pra outras empresas como as notícias "dessesperam" sobre interferência e "apagão" de sinais.
Aguardar no que dá.


E lembrar de realmente tiver interferência não será apenas no C2, mas em todos de banda C e tem vários com cobertura no país, ver como cada uma fará pra "bloquear" interferência e "blindar" seus satélites que operam.

Não sabemos como operações em 3,5GHz poderão dar interferencias em 3,7 GHz, sendo que o normal para a banda C é a partir desses 3,7. Operações abaixo de 3,7 na banda C são excepcionais e não são em todos os satélites. Ademais já usam a Banda Planejada. Os modos de emissão nos satélites são de acordo com os locatários de canais e as empresas concessionárias ou permissionárias de satélites. Entretanto pode sim o Governo, no caso a ANATEL no Brasil, determinar quais modos de emissão um concessionário ou permissionário pode usar ou permitir que se use.

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário MSN Messenger


mplafer
Sao Paulo - Sao Paulo
Mensagem: #5
06/10/2019, 16:28

Para a solução da interferência é simples:
Basta a Embratel locar frequências acima dos 3.7Ghz até 4.2 - 4.5ghz...

E a vantagem do D2 será o H.265.

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário


HeitorPosada
Araruama - RJ
br.gif
Mensagem: #6
06/10/2019, 16:55

mplafer escreveu:
Para a solução da interferência é simples:
Basta a Embratel locar frequências acima dos 3.7Ghz até 4.2 - 4.5ghz...

E a vantagem do D2 será o H.265.

Cremos que tipos de modulação e compressão
devem ser suportados por qualquer satélite atual. Só que as Tvs que pretendem atingir diretamente o publico ,devem se limitar a MPEG4/H264. Isto pela disseminação dos equipamentos e que ainda está em andamento. Sem falar que o DVB S e MPEG2 ainda estão em uso e a compressão do Terrestre ainda em andamento é MPEG4 - no Japão ainda é MPEG2.Relativo a oferta de satélite em banda C, para Tvs abertas, fora de questão. Isto porque há muito EUA, Europa e Asia, praticamente só usam Ku. No Brasil desaparecem as antenas da banda C nas casas e as remanescentes estão na maior parte abandonadas. Internet e mais Tv digital Terrestre, detonaram a banda C para uso domestico, coisa ainda remanescente no Brasil. Se as pessoas acessam videos e muitas Tvs, num smartphone, podemos imaginar se desejariam pagar e ter uma parabola de mesmo 1,70m no telhado mais receptor de em media 300 reais.

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário MSN Messenger


IgorSl
São Luís - Maranhão
br.gif
Mensagem: #7
06/10/2019, 20:54

Até agora não citam que o D2 terá banda planejada 4500 ou seja deve permanecer as frequências atuais perdendo de 3600, vão ter que se adaptar com o que sobrar, ainda não vi nas especificações que terá essas tps de novidade, ainda não revelaram essa faixa como integrante do satélite. O c2 também é compatível com H.265 uma tecnologia recente, mas está em pouco uso, no C2 tem nenhuma operando no novo formato. Quem não é compatível é o ISDB-TB.

Enviar mensagem privada Responder com citação Exibir o perfil do usuário MSN Messenger


Página 1 de 1
As mensagens publicadas são de responsabilidade de seus autores

Publicidade

  • E-Shop Satélite Crispim
  • VCFAZ
Desenvolvido por Danilo Rodrigues


BSD SHOP - Radio BSD - BSD TV
Contato - Atualizar Satélite - Atualizar Canais Terrestre
Fone: (11) 4526-6791 | E-mail: contato@portalbsd.com.br